01 fevereiro 2011

Corpos Molhados

Nunca me irei esquecer. A primeira vez que vi a Raquel foi na Linha 3 da Gare do Oriente, sentada no chão e com um ar triste. Estava um dia frio de Fevereiro e tempo ameaçava chuva.

Tentando meter conversa com ela, fiz-me de ignorante e perguntei se ela sabia qual o comboio que ia para Sete Rios.

Ela esboçou um simples sorriso, e disse que eu estava no sítio certo. Sentei-me ao seu lado e começamos a conversar. Disse algumas parvoíces e coisas sem sentido, e o rosto dela modificou-se, perdeu aquele ar sisudo e começou a esboçar alguns sorrisos. Como estava a gostar da companhia daquela rapariga, e estava a gostar de conversar com ela, “atirei o barro à parede” e convidei-a a ir ao Colombo. Ela deu uma forte gargalhada mas respondeu: Porque não?

Passeamos, conversamos, divertimo-nos. Estava a ser tão agradável, que não nos apercebemos do avançar da hora. Eu fiz questão de a acompanhar até ao comboio, pois já era de noite, e fomos a pé até à estação de Benfica. Que má decisão, era longe e a meio do caminho começou a chover.

Nós não tínhamos nada para nos proteger, e estávamos a atravessar uma zona isolada, onde não passava ninguém, e não existia nenhum sítio para nos abrigar....
 
Toda a história em

6 comentários:

  1. Eita lugarzinho gostoso de vir, tá? Valeu!!

    ResponderEliminar
  2. Bem que estranhei pois tinha certeza de haver comentado esse post. Mas cá estamos nós, tanto nesse quanto no outro blog, seguindo sempre!
    Beijos!!!

    ResponderEliminar
  3. Gostei...

    Aproveito para deixar o endereço do meu blog http://viagemsemretorno.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  4. Olá, estou conhecendo seu blog através de outro que sigo.. e adorei seu espaço!
    Posso te seguir? Adoraria acompanhar seus devaneios.

    Bjs da lua e uma ótima semana!!

    =))

    ResponderEliminar